Plan International Brasil 11 4420.8084
Tempo de leitura: 2 minutos

revolução das princesas

Série de livros reconta histórias infantis empoderando suas personagens

“Príncipes são sempre os heróis.” “Princesas nunca fazem nada, são frágeis e fracas.” Essas são frases de meninas e meninos na faixa dos sete anos e suas percepções refletem o que crescem ouvindo. Já era hora de atualizar essas histórias que pararam no tempo, trazendo uma perspectiva mais inclusiva para as crianças.

A convite da Plan International Brasil, escritoras e ilustradoras recriaram as histórias de Ariel, Bela Adormecida, Rapunzel e Cinderela. com o objetivo de inspirar meninas a serem as heroínas de suas vidas. Nessas versões modernas, as princesas não são nada indefesas. São heroínas fortes e corajosas que montam em seus cavalos, lutam contra bruxas e dragões e salvam príncipes, que também precisam
de ajuda. A coleção “A Revolução das Princesas” é um projeto realizado em parceria com a agência Young & Rubicam e a renda obtida com a venda dos livros é totalmente revertida para o projeto Escola de Liderança Para Meninas, que acontece no Maranhão, no Piauí eem São Paulo.

“Escolhi a Bela Adormecida, uma princesa independente. Ela luta, tem opinião própria e é dona de si. É um conto de fadas invertido”, diz. a escritora Sebastiana Hoyer. “Minha Ariel salva o príncipe de um afogamento”, revela a ilustradora Lorena de Paula. Para a escritora Clara Averbuck, as coisas mudam a partir dos exemplos que são colocados. “Por isso, esse movimento é tão importante”, acredita. “Sempre me incomodou a falta de ação das princesas clássicas e a Plan International Brasil teve essa ideia incrível de criar novas versões das histórias. Escolhi a Pequena Sereia e a minha Ariel nem pensa em trocar voz ou pernas por amor romântico. Todos vivem felizes reinando sobre suas próprias vidas e destinos”, conclui.

Com os títulos “A Revolução da Aurora”, “A Revolução da Ariel”, “A Revolução da Cinderela” e “A Revolução da Rapunzel”, os livros custam
R$ 35 cada e são vendidos pelo site www.arevolucaodasprincesas.com.br