Plan International Brasil 11 4420.8084

Adolescentes e a consciência sobre direitos e saúde

Tempo de leitura: 3 minutos

A Plan International Brasil, em parceria com o Instituto Alcoa, o Consórcio, as Secretarias de Saúde estadual e municipal, se mobilizam para conscientizar adolescentes sobre direitos e saúde

A iniciativa é fruto do projeto “Adolescentes Multiplicando Saúde”, que traz a proposta de capacitar adolescentes e jovens, especialmente meninas, para serem multiplicadoras e multiplicadores em temas de saúde sexual e saúde seprodutiva, direitos sexuais e direitos reprodutivos, prevenção da gravidez na adolescência, prevenção de ISTs/HIV e Aids e outros temas relacionados à direitos.

O projeto foi criado em 2017 com o objetivo de informar, mobilizar, formar e contribuir no empoderamento de adolescentes da zona rural de São Luís, quanto aos seus direitos no âmbito da Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva. A necessidade surgiu a partir dos altos índices nacionais, com destaque para a região norte e nordeste, de gravidez na adolescência e baixos índices de atendimentos de adolescentes nas Unidades Básicas de Saúde. Compreender os processos, os fatores culturais e psicossociais que influenciam nessa realidade de adolescentes e jovens são importantes para se pensar estratégias qualificadas na perspectiva de proteção e efetivação de direitos.

Na primeira etapa do projeto, foram beneficiados os Centros de Ensino Médio (CEM) dos bairros da Estiva, Coqueiro, Maracanã, Inhaúma e Pedrinhas. Cerca de 72 alunas e alunos foram diretamente formados multiplicadores em saúde, alcançando mais de 1.500 adolescentes e jovens nas ações de multiplicação.

A segunda fase do projeto foi lançada no último dia 19 de março, na sede da organização em São Luís, com a participação de representantes da Alcoa, Secretaria Estadual da Educação – SEDUC, Secretaria Estadual de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde – SEMUS, representantes estudantis, gestoras e gestores escolares e de Unidades Básicas de Saúde, com seus demais representantes profissionais.

Nesta fase, para além da formação de adolescentes e jovens, serão realizadas capacitações com 30 profissionais da Educação e 30 profissionais das UBS dos respectivos bairros das escolas, na perspectiva de serviços amigáveis. Outro objetivo também será alcançar 1500 adolescentes e jovens nas multiplicações realizadas. As escolas participantes serão o CEM “Prof. Mário Martins Meireles”, no bairro de Pedrinhas, CE “Salim Braid” em Estiva e CEM “Maria do Socorro Almeida” no bairro do Quebra Pote.

O projeto está apoiado na metodologia de Educação entre Pares, que defende a informação e conhecimento compartilhado de adolescente para adolescente e de jovem para jovem, que traz mais benefícios na qualidade do aprendizado e protagonismo das/os adolescentes e jovens.

Adolescentes multiplicadores da edição 2017, Ana Beatriz e David Júnior relatam que essa experiência é “como uma oportunidade para o amadurecimento e autoconhecimento”. Eles participaram em suas escolas e, hoje, são multiplicadores do conhecimento adquirido para sensibilização de outros adolescentes e jovens e afirmam:

“O nosso papel é ajudar romper preconceitos e mostrar que a informação e a conversa com os colegas, com a família, especialmente com os pais, e com a comunidade são fundamentais para a nossa proteção”

Para a representante da Alumar, Francisca Fontes, o projeto “é uma excelente ferramenta de inclusão, pois trata de temas que estão presentes no cotidiano dos jovens, mas que não são esclarecidos, para que eles possam se proteger e, mesmo, reconhecer os seus direitos”, avaliou a analista de Relações Institucionais da Alumar. Ela destacou o quanto o Consórcio, por meio do Instituto Alcoa, apoia essa ideia, “queremos contribuir para a construção de uma sociedade na qual a orientação sexual e os direitos sexuais e reprodutivos sejam respeitados e precisamos contar com esses jovens”, concluiu.