Plan International Brasil 11 4420.8084

Com as crianças em casa é essencial supervisionar as brincadeiras

Tempo de leitura: 3 minutos

Com as crianças em casa, é essencial supervisionar as brincadeiras

Em tempos de quarentena, é importante adaptar o ambiente para torná-lo mais seguro. Além de riscos de acidentes com brinquedos, móveis e janelas, especialista alerta para o perigo do uso do álcool em gel por crianças

Crianças aprendendo a limpas as mãos

Em meio à pandemia de COVID-19, a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é pelo distanciamento social para tentar frear a disseminação do coronavírus. No Brasil, todos os estados já fecharam as escolas. Com as crianças em casa o dia todo e a mudança radical no cotidiano da família, é preciso redobrar os cuidados.

“Quanto menos supervisão, maior o risco”, diz Gabriela Guida, gerente de projetos da Plan International Brasil e especialista no tema de segurança da criança. “Muitas vezes, mães e pais estão por perto, mas a supervisão não é ativa o tempo todo.” O melhor a fazer, segundo Gabriela, é adaptar o ambiente para torná-lo o mais seguro possível.

Uma boa ideia, segundo a especialista, é mudar o espaço para que as crianças possam se movimentar mais livremente. Rearranjar os móveis retirando mesinhas de centro, por exemplo, reduz o risco de a criança cair e bater a cabeça em uma quina.

Na cozinha moram vários perigos, principalmente para as crianças pequenas. “Se a cozinha for um cômodo separado, o ideal é restringir o acesso, usando um portãozinho, por exemplo”, diz. Quando isso não é possível, recomenda-se colocar todos os utensílios de vidro ou objetos pontiagudos em prateleiras e gavetas mais altas, que a criança não possa acessar. Outra alternativa é usar travas especialmente desenvolvidas para crianças. Deve haver um cuidado especial com o fogão. As crianças devem ser mantidas a mais de um metro dele para prevenir que sejam atingidas por algum alimento ou líquido quente.

Álcool em gel e produtos de limpeza: risco
Uma das recomendações para reduzir os riscos de disseminação do novo coronavírus é limpar com frequência as superfícies e os objetos de uso comum na casa, principalmente quando há crianças. Com isso, aumenta-se o risco de deixar produtos de limpeza em locais de fácil acesso a elas. É preciso armazená-los em lugares seguros.

Outro cuidado é em relação ao álcool 70, que vem sendo recomendado para desinfetar mãos e objetos. “Esse álcool é super inflamável. Quando há crianças em casa, é preciso mantê-lo fora do acesso delas, em armários altos que não consigam abrir”, diz Gabriela. Ela ressalta que esses cuidados também valem para os adultos, que não devem manusear álcool em gel perto do fogo. Gabriela reforça que, dentro de casa, recomenda-se priorizar a limpeza com água e sabão e deixar o álcool em gel para situações excepcionais.

Independentemente da quarentena, redinhas nas janelas e sacadas também são um item essencial para manter a segurança das crianças. Para crianças pequenas de até 4 anos de idade, é preciso guardar todos os objetos pequenos, menores de 3 centímetros, que podem ser engolidos.

A especialista ressalta que nenhuma dessas adaptações dispensa a supervisão de adultos. Para mães e pais que têm trabalhado em casa durante a quarentena, é preciso que as empresas tenham uma compreensão de que os funcionários e funcionárias com filhos não estarão 100% disponíveis em período integral, pois terão que cuidar das crianças enquanto trabalham.

Para Gabriela, uma das melhores maneiras de evitar que as crianças se coloquem em situações de risco é mantê-las ocupadas com atividades divertidas e saudáveis. “Quanto mais tempo elas estiverem envolvidas em atividades seguras, menos risco estarão correndo. Se a criança ficar ociosa, vai buscar coisas para fazer e pode ter acesso a algo que não seja seguro.” Ela observa que existem várias dicas sendo compartilhadas nas redes sociais de como entreter as crianças de forma segura e criativa. A Plan International Brasil vem divulgando seu Cardápio de Brinquedos e Brincadeiras, desenvolvido em parceria com a NIVEA como parte do projeto Famílias Que Cuidam. A publicação traz dicas de como criar um ambiente lúdico e usar materiais e brinquedos para entreter e educar crianças de até 6 anos.