Plan International Brasil 11 4420.8084

Na Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, Plan lança campanha

Tempo de leitura: 2 minutos

Na Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, Plan lança campanha

Confira nosso vídeo com versão do hit “Oh Juliana”, do MC Niack, e baixe os materiais da campanha!

A gravidez precoce tem muitas consequências na vida de meninas e meninos e envolve inúmeros riscos para a saúde de jovens mães e bebês. Devido à pandemia de COVID-19, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) calcula que podem acontecer cerca de 7 milhões de gravidezes não planejadas no mundo todo, principalmente por falta de acesso a contraceptivos e restrições impostas pelo isolamento social.

Por isso, a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, que acontece entre 1 e 8 de fevereiro, é uma oportunidade de disseminar informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez entre a população jovem.

Com o objetivo de conscientizar adolescentes, famílias, educadores e profissionais de saúde sobre o tema – e lembrar que a prevenção é fundamental inclusive durante o período de pandemia – a Plan desenvolveu materiais informativos que estão disponíveis para download no site http://gravidezsoquenao.org.br/. Uma das peças da campanha é um vídeo com a paródia do hit Oh Juliana, do MC Niack, que foi o terceiro vídeo musical mais visto no Youtube no Brasil em 2020. Confira:

No Brasil, a taxa é de 62 adolescentes grávidas para cada grupo de mil jovens do sexo feminino, na faixa etária entre 15 e 19 anos. O índice supera a taxa mundial, que é de 44 adolescentes grávidas para cada grupo de mil. E, com a pandemia de COVID-19, a situação pode piorar com base no que foi observado em outros países durante epidemias que exigiram o isolamento social. “O isolamento em casa tende a aumentar a violência de gênero, o abuso sexual, a falta de acesso a serviços especializados e a métodos de prevenção”, afirma Flavio Debique, nosso gerente nacional de Programas e Incidência Política. Tudo isso pode causar um aumento dos números de gravidez precoce.

É importante lembrar que nas unidades de saúde, as e os adolescentes recebem todo o apoio e a orientação, além de ter acesso aos métodos contraceptivos. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente nove métodos contraceptivos: anticoncepcional injetável mensal; anticoncepcional injetável trimestral; minipílula; pílula combinada; diafragma; pílula de emergência (ou pílula do dia seguinte); Dispositivo Intrauterino (DIU); preservativo feminino e preservativo masculino (camisinha).

“Os métodos contraceptivos estão acessíveis aos adolescentes nas unidades de saúde, incluindo testes rápidos para infecções. Adolescentes têm direito à confidencialidade e atendimento sem a presença de uma pessoa adulta. Mesmo durante a pandemia, os serviços continuam funcionando!”, reforça Nicole Campos, nossa gerente técnica.