Plan International Brasil 11 4420.8084
Tempo de leitura: 4 minutos

Projeto Down To Zero realiza curso de empreendedorismo juvenil e educação financeira para 240 mulheres. Dessas, 30 receberam mentoria para alavancar seus negócios. Confira!

Feira “Elas Fazem” reuniu 30 empreendedoras de Salvador, Camaçari e Mata de São João

A retomada de atividades presenciais tem sido muito comemorada no projeto Down To Zero (DTZ), na Bahia. Alguns destaques dos últimos meses são um curso formativo e uma feira de empreendedorismo feminino, ambos com bons resultados. Realizada ainda num contexto de pandemia, a segunda fase do DTZ, que começou em maio de 2021, tem o desafio de contribuir para a construção e/ou fortalecimento das ações da rede de proteção, buscando coletivamente estratégias para o enfrentamento da pandemia, que impactou a vida de crianças, adolescentes, jovens, adultos, assim como todos os serviços do Sistema de Garantia de Direitos. 

Originalmente, o foco do DTZ sempre foi contribuir para a redução do número de crianças e adolescentes em risco ou vítimas de violências sexuais (abuso e exploração sexual) em comunidades da Bahia, especialmente em Camaçari, Mata de São João e Salvador – cidades da etapa atual da iniciativa. Mas com a extensão da pandemia, foi necessário expandir a atuação para outras áreas. Além da Plan, o projeto reúne a Rede ECPAT Brasil e o Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente Yves de Roussan (Cedeca/Bahia). 

“A Aliança DTZ atua em quatro eixos estratégicos: empoderamento de crianças, adolescentes e jovens, comunidades seguras e protetoras, ambiente favorável de diálogo com governo e engajamento do setor privado. Entre os resultados esperados pelo projeto estão a elaboração e implementação de um Sistema de Referência Comunitário de Proteção à Criança, Adolescentes e Jovens”

Elaine Amazonas, gerente de projetos da Plan International Brasil na Bahia.

Nessa frente, a realização do curso semipresencial Redes Comunitárias de Proteção às Infâncias, Adolescências e Juventudes permitiu atuar com profissionais da Rede de Proteção Infantojuvenil, lideranças comunitárias, gestores e gestoras municipais e ativistas dos direitos da criança, adolescentes e jovens de Camaçari, Mata de São João e Salvador. Para esse ciclo formativo, realizado entre fevereiro e abril, a Plan contou com a parceria da Secretaria Municipal de Políticas para Infância e Juventude de Salvador, da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza de Mata de São João e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania de Camaçari. 

Feira Elas Fazem: Família Empreendedora 

Jovens expõem seus produtos na feira “Elas Fazem”, em Salvador. Das 240 mulheres participantes da iniciativa, 30 foram selecionadas para um processo de mentoria, em que receberam orientações específicas para desenvolver seus negócios.

Entre 31 de março e 2 de abril, em Salvador, a Plan realizou a Feira Elas Fazem: Família Empreendedora. A feira reuniu 30 empreendedoras de Salvador, Camaçari e Mata de São João. Entre os produtos expostos na feira estavam bolsas de palha, fantasias infantis, doces e salgados, turbantes, almofadas, canecas e muitos outros. Entre janeiro e março deste ano, o DTZ promoveu o Curso de Empreendedorismo Juvenil e Educação Financeira, realizado em parceria com o Grupo Rozendo, como parte da estratégia de apoiar social e economicamente as famílias afetadas pela pandemia. 

Das 240 mulheres participantes da iniciativa, 30 foram selecionadas para um processo de mentoria, em que receberam orientações específicas para seus negócios. Dessas, seis foram escolhidas para receber um investimento em forma de capital-semente para o desenvolvimento dos empreendimentos. 

Durante a formação, as participantes puderam compartilhar sobre suas estratégias econômicas para enfrentar os desafios impostos pela pandemia e o que fizeram para ter maior poder de decisão sobre suas vidas e seus futuros, afastando o risco de serem exploradas em qualquer tipo de trabalho ou subemprego. Também viram como identificar situações de violência econômica e romper os ciclos da violência doméstica em que muitas estavam inseridas. 

“Quando uma mulher gera renda, contribui para que seus filhos e filhas tenham acesso a direitos básicos, como a alimentação de qualidade, e possam dar continuidade a seus estudos, ficando distantes do trabalho infantil e da exploração sexual”

Elaine Amazonas, gerente de projetos da Plan International Brasil na Bahia

“No contexto socioeconômico que estamos vivendo, contribuir com o processo de educação financeira e empoderamento econômico de mulheres jovens e adultas é também contribuir para uma maior proteção de seus filhos, filhas e filhes. Quando uma mulher gera renda, contribui para que seus filhes tenham acesso a direitos básicos, como a alimentação de qualidade, e possam dar continuidade a seus estudos, ficando distantes do trabalho infantil e da exploração sexual comercial”, afirma Elaine. “Nesse processo, tivemos a oportunidade de conhecer mulheres com grande potencial empreendedor e inovador. A cada encontro, íamos percebendo o engajamento, a melhora da autoestima e esperança de uma vida em que sonhar e realizar é possível.” 

“Eu não tinha tanto uma visão de empreendedora, mas o curso me proporcionou ter uma visão mais aberta, de como planejar e atrair meus clientes pelas redes sociais. Aprendi também a elaborar um plano de negócio, com maior controle de entradas e saídas de materiais, todos os custos que a empresa tem”, conta Elisiane Santos da Silva Brandão, de 30 anos, participante do curso. 

Rose Rozendo, CEO do Grupo Rozendo, consultoria parceira da Plan para a implementação de atividades do projeto Down To Zero, também destaca: “Foi interessante ouvir as mulheres dizerem sobre a precificação, o quanto estavam cobrando errado ou até fazendo certo com seus produtos. É fantástico fazer com que elas entendam sobre isso e coloquem as ferramentas em seu dia a dia”. 

“Eu achei fantástico. Fico sem palavras para descrever esse momento inesquecível. Só gratidão por vocês. Ter feito esse projeto tão especial. Foi minha primeira Feira como empreendedora e consegui vender R$ 620”, comenta uma das participantes. 

Outra empreendedora destaca que a feira foi uma oportunidade muito valiosa. “Me permitiu ter uma experiência de venda num lugar onde poucos empreendedores têm acesso. Consegui divulgar e vender meu serviço. A localização foi excelente, o espaço, bem confortável e seguro. Foi uma ótima oportunidade e consegui vender R$ 560. Criei relacionamento com possíveis clientes e outras vendedoras. As equipes da Plan e do Grupo Rozendo foram muito atenciosas e profissionais.”