Plan International Brasil 11 4420.8084
Tempo de leitura: 3 minutos

O MELHOR DA PLAN EM 2018

Documentário sobre casamento infantil, ações #MeninasOcupam e lançamento da série de livros A Revolução das Princesas marcaram o ano

Chegamos ao final de 2018 com a certeza de que a Plan International Brasil realizou uma série de ações importantes e de alto impacto para a promoção da igualdade de gênero no Brasil. Com iniciativas nos estados de São Paulo, Bahia, Maranhão e Piauí, alcançamos centenas de meninas e meninos com projetos como Escola de Liderança para Meninas, Cambalhotas, Adolescente Multiplicando Saúde, Adolescente Saudável, Aprender Sem Medo, La League, entre outros.

Logo no começo de 2018 e durante todo o verão, atuamos na Bahia no combate à exploração sexual. A ação, realizada em parceria com a Grou Turismo, criou uma série de medidas de proteção e conscientização sobre o problema, com foco em orientar os turistas a respeito da real situação das meninas. Mais de 100 profissionais de turismo receptivo foram capacitados para falar sobre exploração sexual. Materiais sobre a campanha foram distribuídos em meios de transporte, cabines de pedágio e hotéis. Estima-se que mais de 100 mil pessoas foram diretamente impactadas.

Em fevereiro, entramos na campanha #CarnavalSemAssédio, promovida pelo Catraca Livre e realizada em parceria com a ONU Mulheres e diversos coletivos com a missão de conscientizar, denunciar e registrar casos de assédio. A plataforma Aconteceu no Carnaval coletou relatos anônimos de assédio, que foram consolidados em um mapa. Já em Codó, no Maranhão, a Plan fez a campanha Folia Consciente pelo quinto ano consecutivo, com a distribuição de materiais informativos e preservativos.

Março chegou com o lançamento do documentário Casamento Infantil, ressaltando que o país está na quarta posição em números absolutos de uniões formais no mundo. O filme narra as histórias de Marília, de 15 anos, que vive no interior do Maranhão, e de Daniela, da periferia de São Paulo. As duas tiveram suas vidas impactadas pelo casamento precoce. O documentário reflete sobre o impacto das uniões durante a adolescência na vida das meninas com pesquisadores, cientistas sociais e especialistas. O lançamento foi destaque em diversos meios de comunicação, com reportagens especiais nos jornais O Globo e O Estado de São Paulo. Neste último, a repórter Juliana Diógenes esteve nas cidades de Codó e Timbiras e conversou com meninas atendidas pelos programas da Plan. Ainda em março, mês da mulher, o portal Vice fez uma reportagem sobre as meninas ativistas do Nordeste.

Em maio, os jovens do Programa Down to Zero realizaram um ensaio aberto para a equipe do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), da cidade de Camaçari na Bahia, como parte de um festival que marcou o dia nacional de enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes (18 de maio). No mesmo mês, o canal GloboNews exibiu um programa especial sobre o tema.

Junho foi o momento de realizar uma campanha contra o trabalho infantil como parte do Programa Down to Zero. Mais de 400 jovens mobilizadores, dos municípios de Salvador, Camaçari, Mata de São João e Ilha de Itaparica, trabalharam o assunto nas escolas públicas locais.

Em agosto, participantes do projeto Aprender Sem Medo no Maranhão lançaram o clipe “Ao Bullying Eu Digo Não”, uma paródia da música “Sim ou Não”, da cantora Anitta. O vídeo foi resultado das oficinas socioculturais desenvolvidas para diminuir os índices de bullying nas escolas de São Luís, Paço do Lumiar e Ribamar.

O #MeninasOcupam marcou outubro com ações importantes distribuídas pelo Brasil não só no Dia Internacional da Menina, celebrado em 11 de outubro, mas durante o mês todo. Foram mais de 50 visitas e mobilizações, que envolveram 550 meninas e impactaram populações locais e profissionais de vários setores nas cidades de São Paulo (SP), Itatiba (SP), Salvador (BA), Camaçari (BA), Ilha de Itaparica (BA), Mata de São João (BA), Brasília (DF), Teresina (PI), São Luís (MA), Codó (MA), Caxias (MA), Timbiras (MA) e Peritoró (MA). No mundo todo, o movimento #GirlsTakeOver contou com mais de 1 mil ocupações em 70 países de atuação da Plan. As ações do #MeninasOcupam ganharam espaço em dezenas de reportagens, entre elas no Bom Dia Brasil, no Bom Dia Mirante e no jornal Folha de São Paulo. O portal UOL retomou o tema do casamento infantil.

Os quatro livros da série “A Revolução das Princesas”Na reta final do ano, em novembro e dezembro, destaque para o lançamento da série de livros A Revolução das Princesas, em que escritoras e ilustradoras recontam histórias infantis empoderando as protagonistas Ariel, Bela Adormecida, Cinderela e Rapunzel. As vendas on-line começaram em 22 de novembro, data do evento de lançamento realizado em São Paulo. O mês também ressaltou a campanha #MeninasPelaIgualdade como parte do movimento 16 Dias de Ativismo Contra a Violência de Gênero, organizado pela ONU entre 25 de novembro e 10 de dezembro. Houve espaço ainda para o Programa La League, que promove o empoderamento de meninas e meninos por meio do futebol.