Plan International Brasil 11 4420.8084
Tempo de leitura: 10 minutos

#MeninasOcupam: jovens assumem cargos de destaque em mais de 100 ocupações

Duas cidades aprovaram leis municipais que celebram o Dia da Menina; o Piauí também aprovou a lei estadual. Confira o balanço do Meninas Ocupam 2019!

Duas meninas jovens negras encontram-se em um escritório. Elas estão sentadas e o clima é de descontração. Elas vestem uma camiseta azul com os dizeres Meninas pela Igualdade.
Fávia, 15, e Maria, 13, ocuparam a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia como assessoras de comunicação.

“Um mundo bom para as meninas é um mundo bom para todas as pessoas.” Foi com essas palavras que a estudante Júlia Rebeca, de 16 anos, introduziu o lançamento do Plano Estadual para a Primeira Infância do Maranhão. Júlia – uma das dezenas de meninas que assumiram cargos de destaque no mês de outubro como parte do movimento #MeninasOcupam – ocupou a posição do governador do Maranhão, Flávio Dino, por um dia.

O movimento #MeninasOcupam foi criado pela Plan International para reforçar a celebração do Dia Internacional da Menina em 11 de outubro, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para chamar a atenção do mundo para a luta pelos direitos das meninas. Neste ano foram 107 ocupações, que ocorreram durante todo o mês nas cidades de São Paulo (SP), Itatiba (SP), Salvador (BA), Ilha de Itaparica (BA), Teresina (PI), São Luís (MA), Codó (MA), Caxias (MA), Timbiras (MA) e Peritoró (MA).

A ideia do movimento é que pessoas que ocupam um lugar de destaque na sociedade cedam sua posição para as meninas por alguns momentos. “As meninas ocupam esse lugar e mostram o que podem fazer. Podem transformar o mundo e demonstrar que não avançamos enquanto as meninas ficarem para trás”, diz Viviana Santiago, gerente de gênero e incidência política da Plan International Brasil. “É o dia de mostrar nossa potência a partir da voz das meninas”, completa.

“O balanço deste ano é muito positivo. Estamos muito felizes com o aumento no número de ocupações este ano. Em 2018, registramos 55. Agora, quase dobramos. Também contribuímos diretamente para a aprovação de leis municipais e estaduais pelo Dia da Menina. Aos poucos, até mesmo cidades onde a Plan International Brasil não atua diretamente aderiram ao movimento”, afirma Cynthia Betti, diretora executiva da Plan no Brasil.

Confira como o movimento #MeninasOcupam impactou a vida de meninas e de comunidades brasileiras em outubro!

ESTADO DE SÃO PAULO

São Paulo – Número de ocupações: 15

Meninas adolescentes posam com o prefeito de São Paulo e a secretária de Direitos Humanos de São Paulo. O clima é de alegria.
Em São Paulo, teve ocupação na prefeitura da cidade.

“Para nós, meninas, é difícil ter um momento de voz, que a gente possa falar o que a gente pensa. Estando aqui é um momento de falar o que a gente pensa e o que a gente precisa”, disse Daniele, de 19 anos, que ocupou a primeira edição do Jornal da Cultura, em São Paulo, ao lado de Eyshila, também de 19 anos. Elas conheceram toda a rotina de produção do telejornal e assumiram as posições dos apresentadores Aldo Quiroga e Joyce Ribeiro, que é embaixadora da Plan International Brasil.

Participar de um telejornal ao vivo e poder levar a causa das meninas em rede nacional foi uma grande oportunidade de reforçar seus direitos. “É preciso olhar para as meninas e pensar nas meninas, no futuro que elas terão. Então o fato de estarmos aqui, poder dizer isso, é muito gratificante”, disse Eyshila.

Além de ocupar a mídia, meninas da capital paulista viveram a experiência de exercer cargos públicos importantes. O cargo do prefeito da cidade, Bruno Covas, foi ocupado pela menina Rayane. Já Gabrielly ocupou o cargo de Berenice Giannella, à frente da Secretaria de Direitos Humanos de São Paulo.

As meninas também ocuparam a Câmara dos Vereadores de São Paulo. Gabrielly, de 15 anos, e Milena, de 18, acompanharam a Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara e puderam entender como o poder legislativo e os processos democráticos da cidade funcionam. A atividade fez parte da ocupação das meninas ao gabinete da vereadora Soninha Francine.

Um grupo de meninas que participam do Programa Adolescente Saudável e da Escola de Liderança para Meninas ocupou a Assembleia Legislativa para simular uma comissão legislativa discutindo e votando projetos de leis reais em tramitação na casa.

No setor privado, o cargo da Diretora de Marketing da The Body Shop, Karina Meyer, foi ocupado pelas participantes do projeto Escola de Liderança para Meninas Camila, de 18 anos, Laís e Maria Marta, ambas de 19. As jovens do programa Adolescente Saudável tiveram a oportunidade de ocupar também a fábrica da AstraZeneca Brasil, em Cotia. No Instituto Tomie Ohtake, as meninas Milena, de 18 anos, Lara, de 16, e Kelly, de 19, do projeto Escola de Liderança para Meninas, ocuparam a diretoria do instituto no lugar de Ricardo Ohtake. Além de participarem de reuniões, elas conheceram os departamentos, visitaram uma exposição e tiveram a oportunidade de conversar com as curadoras de uma das mostras do museu.

A sede do Facebook foi ocupada pelas meninas da Escola de Liderança para Meninas e do Programa Adolescente Saudável. As meninas Luanna, 16 anos, de Paraisópolis, Rayane, 15 anos e Rafaela, 19 anos, do Capão Redondo, ocuparam a Mapfre, cuja fundação financia o projeto Escola de Liderança para Meninas em São Paulo.

Também teve #MeninasOcupam na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que foi ocupada por Rayane, Kaylane, Stefany e Nicoly. Além disso, Alicia, de 14 anos, ocupou o cargo de Gerente do Centro de Juventude Kagohara, na região do Capão Redondo, onde o projeto Adolescente Saudável acontece.

Itatiba, interior de SP – Número de ocupações: 1

Com apenas 6 anos, Mayra já teve a experiência de ser prefeita por um dia. Ela ocupou o cargo do prefeito de Itatiba, Douglas Augusto Pinheiro de Oliveira. Além de Mayra, outras 14 estudantes de Itatiba ocuparam as posições dos 14 secretários municipais durante uma hora.

ESTADO DA BAHIA

Salvador – Número de ocupações: 7

Meninas negras seguram uma faixa com os dizeres "Meninas pela Igualdade", em um estádio de futebol na Bahia.
Bianca, 14 anos, e Flávia, 15, entraram em campo em partida realizada pelo Campeonato Brasileiro, no estádio Fonte Nova, na Bahia.

Na Bahia, a ocupação chegou à Arena Fonte Nova, em Salvador. As meninas do projeto Down to Zero, iniciativa da Plan que combate a exploração sexual contra crianças e adolescentes, entraram em campo junto com um grupo de crianças e com os jogadores do Bahia na partida contra o Internacional pelo Campeonato Brasileiro. A ideia foi levar a mensagem de igualdade de gênero aos torcedores e telespectadores da partida. “Gostei do modo como as pessoas me olhavam! Percebi que elas estavam prestando atenção nas informações que estávamos transmitindo”, disse Bianca, que participou da ação.

Flavia, de 15 anos, e Maria de Lurdes, de 13, ocuparam a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado da Bahia, assumindo a posição da assessoria de comunicação. Já Keren, de 19 anos, e Lorena, de 16, ocuparam o cargo de Procuradora Geral do Estado da Bahia Ediene Lousado. “Essa data é muito importante para mostrar a nós, meninas, que podemos ocupar cargos altos e conquistar nossos objetivos”, diz Keren.

As meninas da Bahia também ocuparam os meios de comunicação. As adolescentes Naiele, de 16 anos, e Flávia, de 15, ocuparam os cargos das apresentadoras da TVE Rita Batista e Ayana Simões. Também teve ocupação na Rádio Excelsior. Na Bahia, houve a assinatura de um termo de compromisso com a Procuradora Geral do Ministério Público para a recomendação ao Estado da Bahia e ao Município de Salvador para institucionalizar o 11 de Outubro como o Dia da Menina na Bahia e em Salvador.

ESTADO DO MARANHÃO

São Luís – Número de ocupações: 19

Menina adolescente discursa em um palco ao lado do governador do Estado do Maranhão. A imagem também mostra a plateia com celulares filmando a menina. A ação fez parte do movimento Meninas Ocupam de 2019.
Júlia, 16 anos, coordenou o lançamento do Plano Estadual para a Primeira Infância do Maranhão (Foto Nael Reis).

No Maranhão, o primeiro ato da estudante Júlia Rebeca ao ocupar o governo do estado no lugar de Flávio Dino foi anunciar que o estado seria o primeiro no Brasil a lançar um Plano Estadual para a Primeira Infância. “A gente precisa ter um olhar sensível pelas mães adolescentes. Quando garantimos que crianças vão ter acesso a saúde, lazer, educação, estamos garantindo que as mães vão poder trabalhar, estudar e cuidar de suas crianças”, disse Júlia. A menina também abriu o II Fórum da Mulher e da Advogada com a palestra “Direitos das meninas, dignidade e representatividade” na sede da OAB Maranhão.

Na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, estudantes como Jullya, de 16 anos, ocuparam os gabinetes de deputados. “Uma das nossas demandas é pelo direito de ir e vir, com segurança. Essa é uma das coisas sobre as quais vim conversar com a deputada hoje”, disse Jullya, que ocupou o gabinete da deputada Daniella Tema. A deputada apresentou um projeto de lei de sua autoria que institui o Dia Estadual da Menina no Maranhão.

Ainda em São Luís, a Casa da Mulher Brasileira, espaço que oferece atendimentos multidisciplinares a mulheres em situação de violência, também foi ocupada. “Acredito que ocupar demonstra que temos as mesmas capacidades que os homens têm de atingir espaços de liderança”, disse Emily Tavares Barroso, que ocupou a função de chefe do Departamento de Feminicídio. “Sinto-me lisonjeada por estar aqui, ocupar este cargo e mostrar para a sociedade que temos força, voz e lutamos por igualdade, acima de tudo.”

A Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) recebeu um grupo de meninas, entre elas Emily, de 16 anos, que ocupou o cargo de presidente.

A ocupação chegou ainda à Rádio Mirante, onde Keyce, de 16 anos, assumiu o microfone do programa Hello, com a apresentadora Heloísa Batalha.

Timbiras – Número de ocupações: 3

Duas adolescentes posam ao lado do prefeito de Timbiras e da vereadora da cidade. Eles estão em pé em frente a um banner da campanha Meninas Ocupam.
Lariane, 17, e Lauana, 16, ocuparam os cargos de presidência da Câmara de Vereadores de Timbiras no lugar de Rute Lima e do Prefeito Municipal de Timbiras Antônio Borba.

Em Timbiras, a menina Lauana ocupou por um dia o cargo do prefeito Antonio Borba. “Para mim é um momento incrível porque estou representando diversas meninas que, quando me virem, vão se sentir representadas e homenageadas”, disse Lauana. “Hoje estou ocupando o cargo de prefeita como parte do movimento [#MeninasOcupam]. Mas futuramente pode ser real, eu posso ser prefeita, vereadora, secretária. Eu posso ser o que eu quiser, vai depender da minha vontade e da minha força”, completou.

As meninas Lariane e Cleane também ocuparam cargos na câmara dos vereadores e secretarias do município. A prefeitura de Timbiras decretou 11 de outubro como o Dia Municipal da Menina

Caxias – Número de ocupações: 26

O dia de prefeita da menina Maisa Araújo na cidade de Caxias, foi especialmente emocionante. O prefeito Fábio Gentil autorizou a jovem a, como primeiro ato enquanto prefeita, dar um emprego para o próprio pai. Maisa havia dito em seu discurso que o pai estava desempregado, mas que nunca deixara nada faltar em sua casa e que tem criado sozinho seus seis filhos desde que a mãe os deixou há um ano.

No município, o movimento #MeninasOcupam foi abraçado pela Coordenação Municipal da Juventude e alcançou no total 1336 pessoas, com as meninas ocupando 62 cargos diferentes na cidade. Além de Caxias, abrangeu também o povoado Nazaré do Bruno.

Codó – Número de ocupações: 9

Menina adolescente discursa em uma tribuna. Ela está segurando um microfone.
Danielly, 14, teve a oportunidade de ocupar o lugar do vereador Max Tony, foi à tribuna realizar um discurso sobre a importância de ações concretas com relação à igualdade de direitos para meninas e meninos.

As meninas ocuparam diversos cargos públicos em Codó. Keylane, de 14 anos, ficou com a posição de prefeita. Ana Beatriz, de 16, ocupou o cargo de coordenadora da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde no lugar de Cristiane Oliveira. Além de visitar a unidade básica de saúde (UBS) de uma comunidade rural, falou sobre os desafios que as meninas ainda enfrentam para terem acesso aos serviços de saúde. Syelen, de 15, assumiu a função de Francisco Fecilel na Secretaria de Assistência Social do município.

Já Danielly assumiu o lugar do vereador Max Tony e discursou sobre a importância de ações concretas para garantir a igualdade de direitos para meninas e meninos no município, além de cobrar que a lei nº 1.659 de 11 de outubro de 2013, que trata desse tema, saia do papel.

As meninas também tomaram a frente de empresas privadas. Carla Vitória ocupou a presidência da empresa FC Oliveira, onde participou de reunião com toda a diretoria do grupo.

Peritoró – Número de ocupações: 4

Menina adolescente está discursando em uma tribuna com microfone. A ação faz parte do movimento Meninas Ocupam.
Rávila foi a representante da Escola de Liderança para Meninas na seção sobre o Dia da Menina na Câmara de Vereadores de Peritoró.

Na sessão em que a Câmara Municipal de Peritoró aprovou o Dia Municipal da Menina, a menina Rávila, ocupando o cargo da vereadora Lionete Coelho, discursou sobre a importância da data. “Será um dia para falarmos sobre os problemas que afetam nossa vida. Será para entendermos que ser menina é lutar por espaço, para ser ouvida, para ser respeitada e reconhecida como um ser de direito. É para ressaltarmos a importância de estarmos unidas e mostramos que ser menina é ter direitos respeitados e sairmos da invisibilidade em que o mundo adulto nos colocou.”

Glenda, de 15 anos, também participou da ocupação ao ser empossada no cargo de prefeita da cidade. Enquanto prefeita, Glenda discursou sobre a importância do empoderamento de meninas e do movimento #MeninasOcupam, além de falar sobre as barreiras que as meninas peritoroenses ainda enfrentam para acessarem seus direitos.

ESTADO DO PIAUÍ

Teresina – Número de ocupações: 18

Adolescentes e educadoras posam ao lado dos representantes da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Teresina. Todos estão em clima de alegria.
Camilly Cristina, 14 anos, do Projeto Líderes da Mudança, ocupou a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Teresina.

“A gente se sente incluída num lugar que, de acordo com a sociedade, é masculino, e a gente se sente motivada a lutar por nossos direitos”, diz a menina Auricélia, de 17 anos, que foi prefeita de Teresina por um dia no lugar do prefeito Firmino Filho. “Para mim estar lá representando outras meninas é gratificante por eu estar ajudando as meninas a perceberem seu lugar na sociedade.”

A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Teresina foi ocupada por Camilly Cristina, de 14 anos, que faz parte do Projeto Líderes da Mudança. Alice, estudante de 16 anos que participa do projeto Geração, ocupou a Secretaria Municipal de Finanças.

Já Mauricelia Lima, de 19 anos, ocupou o cargo de deputada na Assembleia Legislativa do Piauí no lugar de Lucy Soares. “É importante ocupar, pois vou representar as meninas da minha cidade e mostrar para elas que é possível que, nós meninas, cheguemos naquele cargo”, disse.

Érica Letícia tomou posse como secretária Municipal de Políticas Públicas para Mulheres no lugar de Macilane Gomes. “O trabalho deles é muito importante. Estão dando uma força para as mulheres. Para não se calarem, falarem o que sentem, o que estão passando”, disse Érica, destacando que sentiu uma responsabilidade muito grande ao assumir o cargo.

O governo do estado também foi ocupado pela menina Brenda Maria, de 12 anos, que esteve no lugar do governador Wellington Dias. Juntos, eles sancionaram a lei que institui 11 de outubro como o Dia Estadual da Menina. Já Crislane, de 16 anos, foi vice-governadora do Piauí por um dia, ocupando o cargo de Regina Sousa.

 

PELO MUNDO

O movimento #GirlsTakeOver contou com mais de 7 mil ocupações em mais de 75 países de atuação da Plan International. Foram inúmeras posições de destaque.

No Paraguai, as meninas Daryan e Lilia tomaram conta do Senado e demandaram acesso à educação em todo o país, políticas mais incisivas para prevenção de violência de gênero, além de demonstrar preocupação com o aumento do abuso infantil no país. Em Guiné-Bissau, Silvatina tomou o cargo do primeiro-ministro Aristides Gomes. Na Europa, a menina Cyrilein ocupou a posição de líder do Partido Trabalhador da Holanda.

Na Uganda, a menina Irene ocupou o cargo de CEO da empresa de comunicação Next Media Services e aproveitou para demandar a divulgação de mais histórias empoderadoras sobre meninas. No Egito também teve ocupação da mídia: Sara realizou seu sonho de se tornar apresentadora de TV ao tomar o cargo de presidente da Nile TV. Já Rasha, do Líbano, assumiu o cargo de diretora criativa da agência de publicidade Leo Burnett.